Aqui dentro

Nem todos os dias são de alegria, nem todos os dias são de sorrisos.
A vida nem sempre é cor-de-rosa e tem dia que a gente fica meio deprê.
Não é do meu natural estar “mais pra lá do que pra cá“.
Mas tem dia que é exceção.
Não tem problema.
Um dia de ficar quietinha no cantinho é tudo que preciso.
Um café, talvez um chocolate para adoçar o coração.
Amanhã o Sol está aí e a menina sorridente que existe em mim estará de volta.
Mas hoje eu vou ficar aqui dentro um pouquinho.
Sozinha um pouquinho.
Quietinha um pouquinho.
Curtir esse momento só meu um pouquinho.
Eu gosto da minha companhia.
Ainda que pareça triste, não é.
A vida tem dessas.
Esses dias mais solitários fazem parte da gente e é preciso aprender a desfrutá-los.
Pois até esses dias, de um modo diferente, também têm sua beleza.

Foto autoral – Costão do Paranambuco – São Paulo/2013.

Leia também

Sobre conquistar o que já foi conquistado

Essa semana que passou foi uma semana um tanto complicada, não foi? Ou será que fui eu que me deixei levar pelas loucuras que têm acontecido?

Não sei, mas me pego divagando às vezes e saio atrás de conversas que me tragam de volta para o chão e para a sanidade. Sei que não falta gente boa no mundo, mas tem dias que precisamos delas mais de perto.

Eu não acho que vivo em uma bolha, mas vai ver que vivo. Pois ainda me choco quando vejo certas notícias. Estamos em pleno 2020 e o ser humano continua repetindo os mesmos erros absurdos que contradizem os mais básicos direitos humanos. Como isso acontece? O “excesso” de realidade jogado nas nossas caras todos os dias deveriam nos fazer melhores, não piores, certo? Será que é a falta de esperança que levam essas pessoas a continuarem a seguir por esses caminhos? Será que é algum tipo de problema mesmo?

Eu sinceramente não entendo. Tantos livros e aulas de história, tanta tecnologia e informação. Como podemos não estar aprendendo? Como podemos não evoluir? Como podemos continuar repetindo incansavelmente os mesmos erros?

Outro dia, assistindo a série Anne with an E (que aliás, recomendo, é linda!), fiquei tão feliz com o pensamento daquela garota, tão jovem e tão a frente de seu tempo não aceitando as limitações e as podas feitas pela sociedade da época e indo atrás de seus direitos, os conquistando aos poucos. Fazendo pequenas diferenças em seu universo e a sensação de progresso enchendo nossos corações.

Mas aí eu parei para pensar, a série se passa no final da década de 1890. Hoje, em 2020, temos que gritar pelos mesmos motivos que aquela garotinha. Não estou dizendo que não conquistamos nada de lá para cá. Conquistamos muito!!! Mas parece que temos que ficar repetindo todo dia, porque sempre tem alguém que esquece e vêm cheios de ideais totalmente retrógrados. E se deixarmos, nos levam para baixo de novo, nos fazem voltar à estaca zero.

Não nos deixaremos levar nunca e continuaremos gritando até o fim, pois o bem, o amor, o certo (ou como você preferir chamar), sempre valerá o esforço. Eu só vim aqui desabafar, porque eu preciso confessar que, às vezes, é cansativo, sabe? Às vezes, só por um dia ou dois, eu queria que as pessoas lembrassem sozinhas e nós não precisássemos gritar novamente. Eu queria ir para o próximo passo, sem ter que ficar repetindo o anterior. Ir para frente somente. Para mim é tão óbvio, é tão fácil! Por que será que tem tanta gente tentando dificultar nossos caminhos, não é? Eu fico tão feliz quando posso facilitar a vida de alguém de alguma maneira… Será que sou muito sonhadora?

Eu espero que você esteja junto comigo nessa luta e te desejo muita paz no coração sempre, mas principalmente para esses dias mais longos e mais tristes que o normal. De qualquer maneira, já dizia Renato Russo, “espera que o sol já vem” e então, com ele, nossa energia renovada para começar tudo de novo!

Leia também

Se você tiver sorte, aprenderá que sempre mediu tudo errado

Há poucos dias terminei de ler a autobiografia da Michelle Obama e achei sensacional. Recomendo muito a leitura para todos e, em especial, para as mulheres. Acho que nos faz olhar de uma perspectiva diferente para muitos problemas e situações delicadas que nos tocam nas feridas.

Eu poderia fazer um livro sobre os pontos da história que me marcaram. Hoje escolhi falar sobre nossas percepções de vida e importâncias, já falei aqui no Blog sobre como nossos sonhos e desejos mudam de proporção conforme o tempo passa e a vida nos impõe situações inesperadas.

E em um momento da história, Michelle fala que “as crianças aprendem a medir muito antes de entenderem o tamanho ou o valor de qualquer coisa. No fim das contas, se você tiver sorte, aprenderá que sempre mediu tudo errado“. E eu gostei muito disso, pois é exatamente assim que enxergo a vida. Quando crianças temos noções muito abstratas do que poderia ser uma vida melhor. Às vezes um quintal maior ou um cachorro já é a pura definição de felicidade. Conforme vamos amadurecendo vemos (ou às vezes nem percebemos, dada a sutileza das mudanças) nossos sonhos e expectativas mudarem. Diria que eles crescem junto com a gente.

No decorrer dos anos entendemos e conhecemos muita coisa nova e reavaliamos importâncias em nossas vidas. O que realmente importa para você? Parece óbvio, mas não é. Na verdade é muito difícil responder a essa questão. O ideal de plenitude envolve muitos aspectos estarem em harmonia em conjunto e a gente bem sabe que a vida não é um mar de rosas e que tem muita coisa que não depende só da sua boa vontade.

Eu diria que aprendemos a medir certo quando enxergamos que alcançar a plenitude não é fazer malabarismo para conseguir essa harmonia perfeita. É justamente entender que você nem sempre vai estar bem, que não dá para fazer tudo 100% perfeito, nem fazer tudo que você quer ao mesmo tempo.

Saber medir certo é saber medir individualmente cada conquista de acordo com as realidades da sua vida. É saber que comparar sua vida com a do outro não vai te levar a lugar algum, pois cada um tem sua trajetória e o seu tempo. É aprender a respeitar esse tempo.

É saber que às vezes você vai falhar e não entrar em desespero por isso. É aprender a lidar com suas frustrações. É chorar, quando for necessário, mas lembrar de parar depois de lavar sua alma, pois a vida é linda demais para desperdiçar nosso precioso tempo. É aprender com seus erros e tombos e viver em paz, porque você sabe que amanhã o sol nascerá outra vez trazendo novas oportunidades de sucesso para você.

É entender que não adianta se desesperar porque você não vai conseguir acabar com a fome do mundo, mas saber que você pode fazer a diferença na vida de alguém. É fazer o bem para você e para o próximo e usar suas condições e seu poder de alcance (independente de qual seja o tamanho dele) para fazer a mudança que te cabe fazer.

Plenitude não é acertar sempre, é estar feliz com cada escolha que você faz e se orgulhar de tudo aquilo que conquistou. Eu sei que é mais fácil falar do que fazer e sentir realmente, mas aos pouquinhos vamos melhorando e chegando cada vez mais perto.

E você, como anda medindo sua vida?

Leia também

Hoje eu acordei pensando em você

Hoje eu acordei pensando em você. Nada mudou e nem vai mudar. A gente vai continuar seguindo os caminhos que escolhemos seguir. Não estou dizendo que queria voltar, nem que queria você aqui. Eu estou feliz e sei que você também está. Quero que continue assim. Só consigo desejar coisas boas para você, mesmo sabendo que não farei mais parte delas.

Hoje eu acordei pensando em você. Já não consigo mais ver seu sorriso na minha mente como antes. Ainda lembro dele, como esquecer? Eu amava tanto seu sorriso, mas ele já não está mais tão nítido na minha memória, sabe? E eu não vou te ligar, porque não faz sentido. Nós seguimos em frente e eu não mudei de ideia, mas hoje eu acordei pensando em você.

Eu não sei porque minha mente viajou tão longe. Mas acho que a vida é assim, não importa quantas páginas você vire no livro da vida. Às vezes as lembranças te invadem e você pensa no passado. E tudo bem, isso não significa retroceder, significa que você tem memória, você tem coração e que o amor e o carinho prevalecem acima de qualquer coisa. Já não penso em você como antes, mas você não morreu em mim. Não quero que morra, afinal não faz sentido deletar o que foi bom.

Hoje eu acordei pensando em você e sorri. Amanhã provavelmente estarei pensando em outra coisa e a vida seguirá normalmente. E talvez daqui a algum tempo eu acorde pensando em você de novo, ou talvez não… Nosso cérebro nem sempre segue a lógica que a gente imagina, mas eu estou livre para sentir o que quer que ele decida. Saudade não é querer de volta, saudade é o coração lembrando do que foi bom e não tem nada de errado nisso. Permita-se sentir o que você precisa sentir e então deixe ir, não deixe que te consuma.

Leia também

Eu sou mamão com açúcar

O Príncipe e o Sapo

Eu sou mamão com açúcar e eu gosto, não quero saber se é careta ou se está fora de moda. Eu gosto de ler romances daqueles bem clichês mesmo, sabe? Gosto de assistir filmes/séries em que a mocinha se apaixona e quer viver para sempre com seu grande amor. Gosto de histórias de rainhas e princesas. Gosto das princesas da Disney (inclusive tenho uma amiga que me chama de garota Disney 😂). Eu sei que não vou conhecer um príncipe encantado que vai me levar de cavalo para o castelo, mas quem sabe né? rs. Dizem que nada é impossível 😜 …

Eu amo receber cartas, seja dos meus amigos ou do crush rs. Me derreto só de pensar que alguém passou alguns minutinhos do dia pensando em algo para poder escrever para mim. Sinceramente, penso que é uma grande demonstração de carinho e é ainda mais especial hoje em dia por estar se tornando um hábito cada vez mais raro. Eu gosto de flores, chocolate, poesia, eu choro fácil, me emociono e me apaixono. Sou carinhosa e não tenho medo de dizer para as pessoas que as amo, sou romântica mesmo, em todos os sentidos. Eu amo me declarar, abraçar, beijar, fazer carinho, cuidar.

Eu sei que as coisas estão cada vez mais complicadas hoje em dia e as pessoas vivem com medo de se deixar levar. Eu não vou dizer que não tenho medo, mas o medo de não sentir algo bom é sempre maior do que o de sentir algo ruim. Afinal, mesmo quando as coisas não dão certo, o que fica são as memórias da parte que foi boa. Deus me agraciou com o dom de não guardar rancor e eu acho que essa é a minha maior qualidade. Todas as pessoas que passaram pela minha vida deixaram um pedacinho delas dentro do meu coração que será guardado com todo o meu amor e carinho, porque mesmo em situações em que algo não tão bom aconteceu, em algum momento teve algo que valeu a pena guardar, nem que tenha sido uma lição. E gosto de pensar que deixei um pedacinho de mim no coração de todas elas também.

Talvez eu seja boba, mas eu sei que eu não sou a única. Eu gosto de ser mamão com açúcar, eu gosto de ser manteiga derretida. Eu sou feliz com a minha vida cheia de fantasias e personagens. E eu agradeço por todas as pessoas que cruzaram o meu caminho e me fizeram sentir, porque sentir é a melhor coisa da nossa existência. Eu penso que a independência e a felicidade andam lado a lado, mas a todos que quiserem compartilhar o caminho eu darei a minha melhor versão para que a viagem seja mais doce – e ouso dizer que a maioria das pessoas é assim (quem não gosta de uma boa companhia?). Por isso não deixe o momento passar, diga bem alto o que sente e se você não for correspondido, paciência. Ninguém morre por amar demais, triste é perder a oportunidade por medo de tentar.

Desejo muito amor para todos vocês

Leia também