Além dos laços de sangue

A vida é engraçada.
Tem família que é família, porque é família.
Tem família que é família, mesmo não sendo família.
Tem família que a gente ganha.
Tem família que a gente escolhe.
Tem família que é de sangue.
Tem família que é de coração.
No fim das contas, família é só mais um sinônimo do amor.
E eu, por algum motivo, fui abençoada com tanto amor que só me resta agradecer e aproveitar.

17 de Outubro de 2020 – Aniversário da minha segunda mãe, Lúcia

Foto Autoral – Tia Lú e eu. São Paulo – SP/2019.

Leia também

Pai

Cresci achando que sua caixa de ferramentas consertaria todas as coisas.
Minhas mãos se parecem com as suas.
Nossos olhos enxergam um mundo parecido, mas completamente diferente.
Achei que pensaríamos sempre igual, descobri que não é assim que funciona.
Seremos a cada amanhã mais parecidos e mais diferentes.
Ambos teimosos, concordando e discordando.
Eu sei que não sou fácil, você também não é.
Se não fôssemos tão parecidos talvez não teríamos tanto talento para discordar um do outro.
No fim, sempre continuamos e continuaremos amigos.
Te amo sempre, quando estou feliz, quando estou brava, quando estamos conversando, quando não estamos, quando você cuida de mim, quando eu cuido de você, quando damos risadas juntos, quando ficamos irritados juntos, quando aprendemos juntos.
Não somos perfeitos, eu puxei tantas das suas qualidades e tantos dos seus defeitos.
Tão apegados e carinhosos, amo nossos abraços, nossas bagunças, cantorias e quando você mata o bicho, pai!
Seu coração é de ouro e esse é o melhor presente que eu poderia ter.
Te amo pai!

13 de Outubro de 2020 – Aniversário do meu papai, Edson, eterno herói

Leia também

Ler é magia

Outro dia escutei que o brasileiro não tem o hábito da leitura, não sei se é verdade porque nunca analisei estatisticamente falando. Mas não gostei de ouvir isso. Aqui em casa a leitura sempre foi muito intensa. Minha mãe só não tem uma biblioteca porque não conseguiu fazer uma. Por falta de espaço mesmo, pois livros tem até para fazer duas rs.

Graças a ela eu e minha irmã desde muito pequeninas ganhamos esse hábito de ler. Sempre gostamos! Minhas tias também ajudaram bastante com os incentivos. Até meu pai, que não é muito fã de livros em si, está sempre lendo um jornal ou matérias sobre aeronáutica (ele adora, se brincar sabe mais de avião que os pilotos rs).

Da parte dos meus amigos, eu não diria que a maioria tem o hábito, mas pelo menos metade gosta. Então acho que por tudo isso fica difícil para mim aceitar que os brasileiros não têm o hábito da leitura, no meu círculo de brasileiros a realidade é outra. E eu acho muito triste pensar que não é assim para todo mundo.

Quando eu era criança, tinha a feira do livro na minha escola e eu era fissurada naquilo. Era um evento rs. Minha mãe, se brincar, ficava mais empolgada que a gente.

A minha primeira coleção foi das Witch, eu era apaixonada por elas na infância ♡

Ontem tivemos que ir ao shopping buscar os óculos da minha mãe e tinha um espaço com estandes de livros infantis. Nossa, foi o momento nostalgia do dia, porque ficou muito parecido com a nossa antiga feira do livro. Foi muito legal reviver aquilo por alguns momentos.

Mas para minha surpresa, logo em seguida passamos em frente de onde costumava ser a livraria Saraiva e ela estava fechada. Há um tempo atrás também havia sido fechada a livraria Cultura. Não sei se está acontecendo em muitos lugares ou foi coincidência de ter sido justo as duas próximas a mim. Mas fiquei preocupada, será que realmente estamos jogando fora nosso hábito de leitura?

Não sei se existe alguma explicação para esses fechamentos, principalmente, devido aos atuais acontecimentos. Confesso que nem cheguei a pesquisar nada. Vim direto desabafar por aqui depois do ocorrido, porque fiquei chateada. A leitura é tão importante, além de todos os benefícios culturais, de aprendizado, de conhecimento, de abrir nossas mentes, é também, na minha opinião, uma maneira de deixar nosso mundo mais mágico e mais feliz.

Espero que consigamos reverter esse processo e promover a leitura aos nossos próximos. Daqui vou tentar incentivar quem eu puder, para que não percamos esse lado colorido da vida. Espero que vocês, de onde quer que estejam, façam o mesmo. Afinal, seria muito triste perder essa cultura e abraçar o estereótipo de que brasileiros não têm o hábito da leitura :/

Fotos autorais – Um pedacinho da nossa coleção aqui em casa.

Leia também

Brazilian Berry

Eu cresci com essa linda Jabuticabeira no meu quintal. Desde que me entendo por gente conheço a dona Jabuticaba, para mim é tão comum que achei engraçado quando mandei uma foto para minha amiga lá de Hamburgo e ela disse que não sabia o que era.

Fui pesquisar e descobri que lá fora as poucas pessoas que já ouviram falar dessa frutinha, a conhecem como Brazilian Berry, pois é uma fruta nativa aqui do BR e bastante incomum e caríssima em outros lugares. Acredito que, principalmente, por não ser assim tão fácil de consegui-la. Ela é típica da mata Atlântica, leva entre 10 e 15 anos para começar a dar frutos e ainda assim, geralmente, é uma única safra por ano, de agosto a setembro. Digo geralmente porque a daqui de casa pelo menos, às vezes, dá fora de época também.

Aqui em casa antigamente eram dois pés, mas infelizmente um caiu há uns anos atrás em um período com chuvas muito intensas. Uma pena, aquele pé era o que tinha as frutas quase do tamanho de bolas de golfe (não é exagero rs, elas eram absurdamente grandes e bem docinhas).

A que ficou tem frutas menores, mas nem tão pequenas quanto as que vejo pelos mercados. Sempre docinhas e pretinhas, são deliciosas para comer, para fazer doces, sucos e até drinks (misturei com tequila e leite condensado e preciso dizer que ficou sensacional, aprovado!).

Minha mãe tem uma relação de amor e ódio com ela. Ela diz que faz bagunça o ano todo 😂. Quando está dando flor é uma tempestade de pó amarelo; depois vem a fruta que cai e os passarinhos que comem e derrubam tudo no chão; quando acabam-se as frutas, a árvore descasca inteira. É uma bagunça! Bagunça que dá trabalho, mas a gente adora.

A jabuticaba é o símbolo da casa, a família toda vem para comer. Engraçado que aqui tem várias árvores frutíferas, mas a jabuticaba é a queridinha. Ela é linda, tanto na época das frutinhas, quanto na das flores. A minha preferida é a das flores, parecem pompons amarelos. Ela fica tão cheirosa e atrai tantas abelhas que de dentro de casa dá para ouvir o zum zum delas. É a coisa mais linda do mundo!

A gente fala tanto sobre tesouros nessa vida e eu tenho um no meu quintal há tanto tempo e nem tinha me dado conta. Acho que fica aí a lição de prestarmos mais atenção ao nosso redor e darmos mais valor as pequenas grandes coisas da vida. Eu aqui no meio de toda essa loucura de SP, tenho meu pequeno paraíso no quintal.

E você? Gosta de jabuticaba?

Fotos autorais, tiradas no quintal de casa. São Paulo – SP/2020.

Leia também

O Rio de Janeiro continua lindo

Eu já ouvi diversas vezes que deveriam parar de fazer turismo no Rio, pois quem sabe assim medidas mais drásticas fossem tomadas para melhorar todos os problemas em relação a criminalidade etc… Preciso dizer que entendo 100% porque as pessoas não fazem e nem farão isso, o lugar é simplesmente maravilhoso. Eu realmente me apaixonei pelo Rio de Janeiro, é incrível como pode ser tudo tão lindo!

Eu já contei aqui sobre a primeira vez que pisei na areia da praia da Barra e hoje vou falar um pouquinho mais sobre como me apaixonei por essa cidade abençoada por Deus.

Rio de Janeiro, sinônimo de calor certo? Errado! Porque o paulistano, ele tem o dom de levar a chuva e o frio com ele para onde quer que ele vá rs. Logo que chegamos estava calor como havia dito no outro post. A noite quando chegamos no hotel, só nós arrumamos e saímos de novo. Comemos no Bar Garota de Ipanema (porque turista tem que turistar, né minha gente? rs) e passeamos por ali no finzinho da noite.

No dia seguinte acordamos cedo e fomos para o Cristo e para a minha surpresa estava muuito frio. Eu, como pessoa prevenida que sou, levei meu casaquinho, mas fiquei com dó de uma galera que estava lá com roupa de calorzão! Subimos e tiramos algumas fotos, quando o segurança nos parou e disse “olha aproveita para tirar foto rápido porque daqui a pouquinho vamos entrar no céu”.

Essa vista acima demorou menos de dois minutos para ficar assim 😂😂:

Eu entendi perfeitamente porque o segurança disse que entraríamos no céu, foi exatamente essa a sensação que tivemos 😂😂:

Tivemos que comprar capinhas de chuva para descer, porque o mundo se acabou em água logo em seguida. Mesmo tendo aproveitado por pouco tempo, a sensação foi incrível. Os sentimentos, a vista, a emoção, é um lugar mágico.

No fim juntamos nossa turma e tiramos uma foto no telão disponível do lado de fora da lojinha no andar de baixo rs. Nossa turma reuniu gente de toda a América do Sul e alguns do México e EUA. Infelizmente nem todos fizeram o passeio no Cristo conosco, pois como havia dito no outro post, chegamos antes da data oficial do evento para podermos passear mesmo.

Os de blusa são brasileiros, os sem blusa são os estrangeiros 😂😂

Os dias que se seguiram foram de muito trabalho, mas a noite sempre saíamos para conhecer um pouquinho mais a cidade e curtir. Fomos a um show do Jorge Ben Jor no Circo Voador que foi uma delícia. Mas foi um rolo, não sabíamos que teria esse show e ao chegarmos lá meu chefe ficou louco, porque aparentemente o mundo iria acabar se não entrássemos. Aí fomos comprar ingressos, mas já estavam esgotados, então foram procurar intercambistas… Enfim, um rolo, mas no fim deu certo e conseguimos curtir bastante.

Depois do show voltamos a pé até o hotel. A noite estava tão gostosa e estávamos tão animados que achamos uma boa ideia na hora. Voltamos tranquilamente e foi uma ótima caminhada, mas não recomendo que ninguém faça isso. No dia seguinte levamos a maior bronca (ops 😂) pelo perigo que corremos. Eu não vi nada de ruim em nenhuma vez que estive no Rio, mas é bom não abusar da sorte, principalmente de madrugada. Digo isso, porque aqui em SP eu jamais teria feito o que fiz lá, por aqui nunca abuso e estou sempre ligada, mas confesso que lá não foi bem assim. Acho que quando estamos passeando acabamos nos vislumbrando tanto que nos esquecemos de que cuidado nunca é demais.

No dia seguinte fiquei com preguiça de levantar bem cedo para o café da manhã, decidi dormir um pouquinho mais, pois o dia seria longo. Um dos meus colegas me ligou e disse para subir pois o Luciano Huck, Angélica e Júnior (o da Sandy rs) estavam lá em cima tomando café também. Eu achei que ele estava tirando uma com a minha cara e nem dei atenção. Mais tarde, já no trabalho, fiquei sabendo que era verdade e fiquei chateada por ter sido a única sem foto com o Huck 😂. Aliás, fica aí a dica, não tenha preguiça de levantar cedo, pode acabar perdendo boas surpresas ou até bons momentos 🙂

O resumo dos dias seguintes foi bastante trabalho durante o dia e festa a noite. No nosso último dia saímos para passear também, infelizmente não conseguimos ir a nenhuma praia pois choveu muito. Mas conseguimos conhecer alguns lugares interessantes. No finzinho da tarde fomos para a Urca andar de bondinho, claro né? Não podia faltar. O que eu não sabia, perdão pela ignorância, mas é que tem uma cidade lá em cima. Dá para passar o dia todo facilmente lá. E foi outro lugar que amei muito. Achamos um barzinho escondido (não sei se é escondido mesmo, mas para mim pareceu um senhor caminho secreto para achá-lo rs) e ficamos um tempão batendo papo por lá. Foi realmente muito bom.

Eu amei essa viagem, nada saiu como o planejado e acho que por isso acabou sendo tão divertido. Também acho que o fato de estarmos com uma turma bem grande e bem variada, com gente de vários países diferentes tornou tudo mais interessante. Ver o brilho e o encanto das pessoas com as maravilhas que o nosso país oferece nos enche de alegria e faz com que nos apaixonemos ainda mais também.

Enfim, o Rio pode até ter seus problemas, mas é impossível não amar. Que lugar, meus queridos! Eu recomendo muito, se tiver a oportunidade só vá. 🙂 Nós ficamos hospedados no Prodigy Hotel Santos Dumont, que fica literalmente grudado no Aeroporto Santos Dumont. Eu achei muito bom e um preço ok. É claro que hoje, com Airbnb, fica mais fácil encontrar locações mais em conta, mas se você é dos que prefere hotéis, eu recomendaria este facilmente. A minha experiência foi ótima lá 😉

Algumas fotinhos fofas:

Leia também