Ler é magia

Outro dia escutei que o brasileiro não tem o hábito da leitura, não sei se é verdade porque nunca analisei estatisticamente falando. Mas não gostei de ouvir isso. Aqui em casa a leitura sempre foi muito intensa. Minha mãe só não tem uma biblioteca porque não conseguiu fazer uma. Por falta de espaço mesmo, pois livros tem até para fazer duas rs.

Graças a ela eu e minha irmã desde muito pequeninas ganhamos esse hábito de ler. Sempre gostamos! Minhas tias também ajudaram bastante com os incentivos. Até meu pai, que não é muito fã de livros em si, está sempre lendo um jornal ou matérias sobre aeronáutica (ele adora, se brincar sabe mais de avião que os pilotos rs).

Da parte dos meus amigos, eu não diria que a maioria tem o hábito, mas pelo menos metade gosta. Então acho que por tudo isso fica difícil para mim aceitar que os brasileiros não têm o hábito da leitura, no meu círculo de brasileiros a realidade é outra. E eu acho muito triste pensar que não é assim para todo mundo.

Quando eu era criança, tinha a feira do livro na minha escola e eu era fissurada naquilo. Era um evento rs. Minha mãe, se brincar, ficava mais empolgada que a gente.

A minha primeira coleção foi das Witch, eu era apaixonada por elas na infância ♡

Ontem tivemos que ir ao shopping buscar os óculos da minha mãe e tinha um espaço com estandes de livros infantis. Nossa, foi o momento nostalgia do dia, porque ficou muito parecido com a nossa antiga feira do livro. Foi muito legal reviver aquilo por alguns momentos.

Mas para minha surpresa, logo em seguida passamos em frente de onde costumava ser a livraria Saraiva e ela estava fechada. Há um tempo atrás também havia sido fechada a livraria Cultura. Não sei se está acontecendo em muitos lugares ou foi coincidência de ter sido justo as duas próximas a mim. Mas fiquei preocupada, será que realmente estamos jogando fora nosso hábito de leitura?

Não sei se existe alguma explicação para esses fechamentos, principalmente, devido aos atuais acontecimentos. Confesso que nem cheguei a pesquisar nada. Vim direto desabafar por aqui depois do ocorrido, porque fiquei chateada. A leitura é tão importante, além de todos os benefícios culturais, de aprendizado, de conhecimento, de abrir nossas mentes, é também, na minha opinião, uma maneira de deixar nosso mundo mais mágico e mais feliz.

Espero que consigamos reverter esse processo e promover a leitura aos nossos próximos. Daqui vou tentar incentivar quem eu puder, para que não percamos esse lado colorido da vida. Espero que vocês, de onde quer que estejam, façam o mesmo. Afinal, seria muito triste perder essa cultura e abraçar o estereótipo de que brasileiros não têm o hábito da leitura :/

Fotos autorais – Um pedacinho da nossa coleção aqui em casa.

Leia também

Brazilian Berry

Eu cresci com essa linda Jabuticabeira no meu quintal. Desde que me entendo por gente conheço a dona Jabuticaba, para mim é tão comum que achei engraçado quando mandei uma foto para minha amiga lá de Hamburgo e ela disse que não sabia o que era.

Fui pesquisar e descobri que lá fora as poucas pessoas que já ouviram falar dessa frutinha, a conhecem como Brazilian Berry, pois é uma fruta nativa aqui do BR e bastante incomum e caríssima em outros lugares. Acredito que, principalmente, por não ser assim tão fácil de consegui-la. Ela é típica da mata Atlântica, leva entre 10 e 15 anos para começar a dar frutos e ainda assim, geralmente, é uma única safra por ano, de agosto a setembro. Digo geralmente porque a daqui de casa pelo menos, às vezes, dá fora de época também.

Aqui em casa antigamente eram dois pés, mas infelizmente um caiu há uns anos atrás em um período com chuvas muito intensas. Uma pena, aquele pé era o que tinha as frutas quase do tamanho de bolas de golfe (não é exagero rs, elas eram absurdamente grandes e bem docinhas).

A que ficou tem frutas menores, mas nem tão pequenas quanto as que vejo pelos mercados. Sempre docinhas e pretinhas, são deliciosas para comer, para fazer doces, sucos e até drinks (misturei com tequila e leite condensado e preciso dizer que ficou sensacional, aprovado!).

Minha mãe tem uma relação de amor e ódio com ela. Ela diz que faz bagunça o ano todo 😂. Quando está dando flor é uma tempestade de pó amarelo; depois vem a fruta que cai e os passarinhos que comem e derrubam tudo no chão; quando acabam-se as frutas, a árvore descasca inteira. É uma bagunça! Bagunça que dá trabalho, mas a gente adora.

A jabuticaba é o símbolo da casa, a família toda vem para comer. Engraçado que aqui tem várias árvores frutíferas, mas a jabuticaba é a queridinha. Ela é linda, tanto na época das frutinhas, quanto na das flores. A minha preferida é a das flores, parecem pompons amarelos. Ela fica tão cheirosa e atrai tantas abelhas que de dentro de casa dá para ouvir o zum zum delas. É a coisa mais linda do mundo!

A gente fala tanto sobre tesouros nessa vida e eu tenho um no meu quintal há tanto tempo e nem tinha me dado conta. Acho que fica aí a lição de prestarmos mais atenção ao nosso redor e darmos mais valor as pequenas grandes coisas da vida. Eu aqui no meio de toda essa loucura de SP, tenho meu pequeno paraíso no quintal.

E você? Gosta de jabuticaba?

Fotos autorais, tiradas no quintal de casa. São Paulo – SP/2020.

Leia também

Você acredita em anjos?

Talvez anjo não seja a palavra exata, eu a uso por que gosto muito da serenidade que ela traz. Mas independente do nome, eu falo de pessoas de luz, pessoas de paz, pessoas de bondade. Existem pessoas que entram na nossa vida, não para mostrar o caminho, mas para iluminá-lo melhor, nos dão apoio e aquecem nosso coração.

Elas não pedem nada em troca, mas é claro que fazemos o que estiver ao nosso alcance para retribuir todo o carinho que nos foi dedicado por elas. Às vezes, sinto que não consigo fazer algo grandioso o suficiente para mostrar a minha gratidão. Mas penso que, ainda assim, elas sabem. Por que elas são especiais, elas são anjos.

Eu realmente acredito que Deus coloca determinadas pessoas no nosso caminho. E a ele eu só agradeço, por que tenho anjos incríveis na minha vida!

Foto autoral – Itanhaém – Litoral sul de SP, 2019.

Leia também

O melhor lugar do mundo

Nos braços da mamãe, olhando para o mar. Existe lugar melhor?

Tem gente que diz que vamos para o paraíso quando morremos, talvez, mas para mim o paraíso é aqui. Com as pessoas que amo, nos lugares que amo. Poucos lugares no mundo me trazem o mesmo nível de paz que tenho quando estou com a minha família. Casa não é um lugar fixo, casa é onde o seu coração escolhe morar. Por isso, não importa onde eu esteja, minha casa é onde eles estiverem.

Não somos uma família perfeita, temos milhares de defeitos, mas se eu pudesse escolher eu os escolheria infinitas vezes.

10 de Julho de 2020 – Aniversário da minha mamãe, Regina, eterna rainha

Foto autoral – mamãe e eu em algum lugar do litoral sul de SP.

Leia também