Mas por que a Alemanha?

Nos meus grupinhos de amizades eu sou a louca do intercâmbio. Sempre que alguém está pensando sobre o assunto ou tem vontade de planejar algo, vem falar comigo. Acho até engraçado, juro que não estou ganhando comissão de nenhuma agência gente (aliás bem que eu queria haha). Mas o fato é que sou apaixonada por essa ideia e acho mesmo que todo ser humano deveria poder ter a experiência de conhecer outros lugares, quaisquer que sejam.

E quem me conhece sabe que eu ainda quero conhecer o mundo todo, mas eu tenho um crush forte na Alemanha. Por que? Eu não sei se eu sei responder essa pergunta. Vira e mexe alguém me pergunta de onde veio esse meu entusiasmo e paixão pela cultura alemã. Eu lembro que na época do ensino médio eu olhava a sala de alemão no centro de línguas do meu colégio e achava o máximo. Sabe aquela coisa de “nossa, eles falam alemão” rs. Mas como fazia o espanhol e o inglês, não cheguei a realmente cogitar a hipótese.

Mas acho que foi aí que começou. A admiração marcou, sabe? Uau, é diferente. Uau, é preciso se esforçar. Uau, é muito bonito. E aí eu meio que fui alimentando essa ideia inconscientemente.

Meu pai trabalhou com táxi durante um período e ele fazia muitas corridas para a livraria alemã Bücherstube, pois era do lado do ponto dele, e também para o próprio Instituto Goethe. Com isso ele fez bastante amizade com algumas pessoas de lá. E ele sempre me falava sobre as conversas que ele tinha com essas pessoas e, de alguma maneira, isso foi aumentando a minha curiosidade sobre o assunto.

Eu comecei a realmente desejar aprender alemão. Não era uma ideia imediata, afinal eu nem julgava que o meu inglês era bom o suficiente ainda. Mas eu sempre comentava com meu pai que gostaria de fazer um dia. Depois de um tempo ele chegou até a ir olhar os preços lá no Instituto, mas era muito caro (para o meu bolso) e eu não estava com pressa, não era algo que eu precisava. Era um sonho para realizar um pouco mais no futuro.

E aí, um belo dia, meu pai pegou uma corrida no táxi de uma senhora alemã, a Frau Inge, e ele comentou sobre essa minha vontade com ela. E, gente, não é que a criatura era professora de alemão? Ela passou o contato dela para o meu pai na mesma hora e disse para eu ligar para ela que ela me daria aulas particulares se eu quisesse.

Confesso que fui pega de surpresa, eu não esperava começar uma nova língua naquele momento. Mas não dava para perder a oportunidade. Quantas vezes o professor simplesmente cai de paraquedas na sua vida? Um preço acessível, do lado de casa e ainda aula particular com uma professora incrível (claro que a parte do incrível eu só descobri depois que comecei as aulas rs).

E assim foi, em meados de 2015 comecei a estudar alemão e desde então não parei mais. Na época eu não sabia nem falar Alemanha em alemão rs. Mas a minha professora foi e é incrível, porque além de me ensinar a língua, ela sempre me ensinou muita coisa da cultura local. Principalmente dos lugares onde ela morou. Eu tenho até uma listinha de lugares que, segundo ela, não posso perder.

Essa é a Frau Inge com seu avental modelito Dirndl super fashion no meu aniversário do ano passado. Ela fez um Apfelstrudel dos Deuses para comemorarmos

Desde então, conheci muita gente, alguns graças a ela, outros pelos meus próprios caminhos, mas o fato é que tenho muito contato com nativos de lá. Então, eu diria que foi um conjunto de acontecimentos que me fizeram sonhar com a Alemanha, mas graças a Frau Inge que eu gostei tanto de me inserir nesse universo da batatolândia.

Hoje eu sou muito grata a ela. Já não faço mais aulas, pois tecnicamente era para eu estar na Alemanha desde maio deste ano (corona atrapalhou os planos, como eu contei aqui), mas ainda temos contato e teremos para sempre no que depender de mim. Ela conquistou meu coraçãozinho e fez eu me apaixonar pelas raízes dela.

Espero muito em breve conseguir, FINALMENTE, desembarcar na terrinha da salsicha. E você que está lendo, se tiver curiosidade sobre essa língua maravilhosa, vá sem medo. Eu sei, ela pode ser meio assustadora kkk mas nada que não dê para encarar e garanto que vale a pena. Eu amo falar alemão

Leia também

Ler é magia

Outro dia escutei que o brasileiro não tem o hábito da leitura, não sei se é verdade porque nunca analisei estatisticamente falando. Mas não gostei de ouvir isso. Aqui em casa a leitura sempre foi muito intensa. Minha mãe só não tem uma biblioteca porque não conseguiu fazer uma. Por falta de espaço mesmo, pois livros tem até para fazer duas rs.

Graças a ela eu e minha irmã desde muito pequeninas ganhamos esse hábito de ler. Sempre gostamos! Minhas tias também ajudaram bastante com os incentivos. Até meu pai, que não é muito fã de livros em si, está sempre lendo um jornal ou matérias sobre aeronáutica (ele adora, se brincar sabe mais de avião que os pilotos rs).

Da parte dos meus amigos, eu não diria que a maioria tem o hábito, mas pelo menos metade gosta. Então acho que por tudo isso fica difícil para mim aceitar que os brasileiros não têm o hábito da leitura, no meu círculo de brasileiros a realidade é outra. E eu acho muito triste pensar que não é assim para todo mundo.

Quando eu era criança, tinha a feira do livro na minha escola e eu era fissurada naquilo. Era um evento rs. Minha mãe, se brincar, ficava mais empolgada que a gente.

A minha primeira coleção foi das Witch, eu era apaixonada por elas na infância ♡

Ontem tivemos que ir ao shopping buscar os óculos da minha mãe e tinha um espaço com estandes de livros infantis. Nossa, foi o momento nostalgia do dia, porque ficou muito parecido com a nossa antiga feira do livro. Foi muito legal reviver aquilo por alguns momentos.

Mas para minha surpresa, logo em seguida passamos em frente de onde costumava ser a livraria Saraiva e ela estava fechada. Há um tempo atrás também havia sido fechada a livraria Cultura. Não sei se está acontecendo em muitos lugares ou foi coincidência de ter sido justo as duas próximas a mim. Mas fiquei preocupada, será que realmente estamos jogando fora nosso hábito de leitura?

Não sei se existe alguma explicação para esses fechamentos, principalmente, devido aos atuais acontecimentos. Confesso que nem cheguei a pesquisar nada. Vim direto desabafar por aqui depois do ocorrido, porque fiquei chateada. A leitura é tão importante, além de todos os benefícios culturais, de aprendizado, de conhecimento, de abrir nossas mentes, é também, na minha opinião, uma maneira de deixar nosso mundo mais mágico e mais feliz.

Espero que consigamos reverter esse processo e promover a leitura aos nossos próximos. Daqui vou tentar incentivar quem eu puder, para que não percamos esse lado colorido da vida. Espero que vocês, de onde quer que estejam, façam o mesmo. Afinal, seria muito triste perder essa cultura e abraçar o estereótipo de que brasileiros não têm o hábito da leitura :/

Fotos autorais – Um pedacinho da nossa coleção aqui em casa.

Leia também

Sobre conquistar o que já foi conquistado

Essa semana que passou foi uma semana um tanto complicada, não foi? Ou será que fui eu que me deixei levar pelas loucuras que têm acontecido?

Não sei, mas me pego divagando às vezes e saio atrás de conversas que me tragam de volta para o chão e para a sanidade. Sei que não falta gente boa no mundo, mas tem dias que precisamos delas mais de perto.

Eu não acho que vivo em uma bolha, mas vai ver que vivo. Pois ainda me choco quando vejo certas notícias. Estamos em pleno 2020 e o ser humano continua repetindo os mesmos erros absurdos que contradizem os mais básicos direitos humanos. Como isso acontece? O “excesso” de realidade jogado nas nossas caras todos os dias deveriam nos fazer melhores, não piores, certo? Será que é a falta de esperança que levam essas pessoas a continuarem a seguir por esses caminhos? Será que é algum tipo de problema mesmo?

Eu sinceramente não entendo. Tantos livros e aulas de história, tanta tecnologia e informação. Como podemos não estar aprendendo? Como podemos não evoluir? Como podemos continuar repetindo incansavelmente os mesmos erros?

Outro dia, assistindo a série Anne with an E (que aliás, recomendo, é linda!), fiquei tão feliz com o pensamento daquela garota, tão jovem e tão a frente de seu tempo não aceitando as limitações e as podas feitas pela sociedade da época e indo atrás de seus direitos, os conquistando aos poucos. Fazendo pequenas diferenças em seu universo e a sensação de progresso enchendo nossos corações.

Mas aí eu parei para pensar, a série se passa no final da década de 1890. Hoje, em 2020, temos que gritar pelos mesmos motivos que aquela garotinha. Não estou dizendo que não conquistamos nada de lá para cá. Conquistamos muito!!! Mas parece que temos que ficar repetindo todo dia, porque sempre tem alguém que esquece e vêm cheios de ideais totalmente retrógrados. E se deixarmos, nos levam para baixo de novo, nos fazem voltar à estaca zero.

Não nos deixaremos levar nunca e continuaremos gritando até o fim, pois o bem, o amor, o certo (ou como você preferir chamar), sempre valerá o esforço. Eu só vim aqui desabafar, porque eu preciso confessar que, às vezes, é cansativo, sabe? Às vezes, só por um dia ou dois, eu queria que as pessoas lembrassem sozinhas e nós não precisássemos gritar novamente. Eu queria ir para o próximo passo, sem ter que ficar repetindo o anterior. Ir para frente somente. Para mim é tão óbvio, é tão fácil! Por que será que tem tanta gente tentando dificultar nossos caminhos, não é? Eu fico tão feliz quando posso facilitar a vida de alguém de alguma maneira… Será que sou muito sonhadora?

Eu espero que você esteja junto comigo nessa luta e te desejo muita paz no coração sempre, mas principalmente para esses dias mais longos e mais tristes que o normal. De qualquer maneira, já dizia Renato Russo, “espera que o sol já vem” e então, com ele, nossa energia renovada para começar tudo de novo!

Leia também

Novos dias virão

A quarentena tem deixado vocês mais sensíveis? Eu sempre fui uma pessoa sensível, mas esses últimos dias estou me sentindo presa em uma tpm contínua rs. Sempre fui aquela que abraça, sabe? Não sei nem descrever como tenho sentido falta de abraçar as pessoas queridas. E quem dera esse fosse o único ponto, a verdade é que toda a maldade e ignorância que temos visto circulando por todo o mundo nos deixa com uma sensação de impotência tão grande que não sei bem como poderia ajudar…

Não tem sido fácil amigos, mas acredito que logo estaremos nos referindo sobre esse período desastroso no passado. Nos reunindo nas nossas adoradas mesas de bar, tomando um drink com os amigos (ou onde mais você goste de ir). Tenho trabalhado muito a minha paciência há algum tempo e agora mais do que nunca, mas não posso negar que estou ansiosa para que esses dias cheguem logo.

Sigo acreditando, fazendo minha parte e mandando muita energia positiva, que é o que posso fazer por aqueles que não tenho como ajudar. Muita saúde e paciência para todos nós 😘

Leia também