Ler é magia

Outro dia escutei que o brasileiro não tem o hábito da leitura, não sei se é verdade porque nunca analisei estatisticamente falando. Mas não gostei de ouvir isso. Aqui em casa a leitura sempre foi muito intensa. Minha mãe só não tem uma biblioteca porque não conseguiu fazer uma. Por falta de espaço mesmo, pois livros tem até para fazer duas rs.

Graças a ela eu e minha irmã desde muito pequeninas ganhamos esse hábito de ler. Sempre gostamos! Minhas tias também ajudaram bastante com os incentivos. Até meu pai, que não é muito fã de livros em si, está sempre lendo um jornal ou matérias sobre aeronáutica (ele adora, se brincar sabe mais de avião que os pilotos rs).

Da parte dos meus amigos, eu não diria que a maioria tem o hábito, mas pelo menos metade gosta. Então acho que por tudo isso fica difícil para mim aceitar que os brasileiros não têm o hábito da leitura, no meu círculo de brasileiros a realidade é outra. E eu acho muito triste pensar que não é assim para todo mundo.

Quando eu era criança, tinha a feira do livro na minha escola e eu era fissurada naquilo. Era um evento rs. Minha mãe, se brincar, ficava mais empolgada que a gente.

A minha primeira coleção foi das Witch, eu era apaixonada por elas na infância ♡

Ontem tivemos que ir ao shopping buscar os óculos da minha mãe e tinha um espaço com estandes de livros infantis. Nossa, foi o momento nostalgia do dia, porque ficou muito parecido com a nossa antiga feira do livro. Foi muito legal reviver aquilo por alguns momentos.

Mas para minha surpresa, logo em seguida passamos em frente de onde costumava ser a livraria Saraiva e ela estava fechada. Há um tempo atrás também havia sido fechada a livraria Cultura. Não sei se está acontecendo em muitos lugares ou foi coincidência de ter sido justo as duas próximas a mim. Mas fiquei preocupada, será que realmente estamos jogando fora nosso hábito de leitura?

Não sei se existe alguma explicação para esses fechamentos, principalmente, devido aos atuais acontecimentos. Confesso que nem cheguei a pesquisar nada. Vim direto desabafar por aqui depois do ocorrido, porque fiquei chateada. A leitura é tão importante, além de todos os benefícios culturais, de aprendizado, de conhecimento, de abrir nossas mentes, é também, na minha opinião, uma maneira de deixar nosso mundo mais mágico e mais feliz.

Espero que consigamos reverter esse processo e promover a leitura aos nossos próximos. Daqui vou tentar incentivar quem eu puder, para que não percamos esse lado colorido da vida. Espero que vocês, de onde quer que estejam, façam o mesmo. Afinal, seria muito triste perder essa cultura e abraçar o estereótipo de que brasileiros não têm o hábito da leitura :/

Fotos autorais – Um pedacinho da nossa coleção aqui em casa.

Leia também

25 comentários sobre “Ler é magia

  1. Oi, Gabriela. Espero que estejas bem. Acabei de ler teu artigo, e confesso que senti a necessidade e a obrigação profissional (e moral também) de tecer alguns comentários empíricos sobre o assunto.
    Para iniciar, devo dizer que NÃO É um estereótipo a falta de leitura do brasileiro.
    Sou professor de Língua Portuguesa, concursado e efetivado na rede pública estadual de São Paulo há vinte anos. Já lecionei em quatro escolas em toda minha carreira, três localizadas em bairros periféricos e comunidades (que chamamos de “carentes”) e uma delas situada no centro comercial da cidade onde moro. Trabalhei com mais de 5 mil alunos nessas duas décadas, e posso dar meu testemunho formal de que a maioria da população não cultiva o hábito da leitura. É fato consumado há séculos.
    Você foi honesta de dizer em teu artigo que não fez pesquisas sobre o assunto. Caso realizasse uma busca de estatísticas, teria alguns dados um pouco incoerentes, mas levaria um belo choque de realidade: o hábito de leitura não é praticado nem por 40% da população.
    E essa conta eu posso atestar agora: lecionei para mais de 5 mil alunos. Desde o começo de minha carreira, venho questionando-os sobre o hábito de leitura. Em todas as turmas que entrei para dar aula, sempre acontecia o mesmo fato: apenas dois ou três alunos comprovavam ler com frequência. Em turmas compostas por um número entre 35 a 45 alunos, veja só.
    Costumava pensar que isso só ocorria na minha escola, naquele certo bairro. Mas, como é fácil ter contato com professores de outras regiões, descobri que esta realidade é nacional. Tenho vários amigos que também são professores de Língua Portuguesa – um deles está prestes a se aposentar após 35 anos em sala de aula – e todos afirmam a mesma coisa: a cada 40 alunos, dois ou três gostam de ler e praticam a leitura.
    Devo dizer que tenho dois projetos de leitura que venho botando em ação desde que comecei a trabalhar. Um dos projetos tenta estimular a leitura de poemas, o outro tem como objetivo criar o gosto pela leitura em alunos do final do Ensino Fundamental às 3 séries do Ensino Médio. Nos dois projetos, os procedimentos e metodologia são semelhantes: eu levo as turmas para a sala de leitura da escola, apresento alguns livros, falo sobre as obras, do que tratam, e peço que votem para escolher qual dos livros será lido durante o projeto. Após a eleição do livro, empresto um exemplar para cada aluno e leio para eles, com calma, devagar, ajustando minha voz para simular as falas das personagens, fazendo pausas para explicar contextos e significados de palavras que não conheçam, enfim, fazendo o que chamamos de “leitura conduzida/dirigida”. O projeto termina quando acabo a leitura do livro. Então, peço que eles escrevam ou falem de forma crítica sobre o livro lido. Quer saber dos resultados?
    Durante a leitura, preciso pedir que façam silêncio para não atrapalhar quem quer ouvir. Preciso pedir que abram o livro, porque alguns simplesmente fecham e querem botar os fones de ouvido. Preciso constantemente pedir que se concentrem na leitura, mesmo porque foram eles que escolheram a obra!
    E você acha que meu esforço melhorou a prática de leitura nas escolas onde trabalhei?
    Em todas as turmas que apliquei esse projeto de leitura, o resultado foi o mesmo: quem já gostava de ler, simplesmente AMOU o projeto, e passou a LER MAIS. Quem não gostava de ler, não adquiriu o hábito de leitura e não criou gosto por ler. Cansei de ouvir o seguinte comentário da maioria dos alunos: “legal, professor, ouvir sua leitura… pode fazer o projeto de novo? Eu prefiro que o senhor leia, porque não gosto de ler.”
    Entendeu? Veja só: a maioria não quer ler porque diz não gostar, diz não querer, mas gosta que alguém LEIA PARA ELES. E isso venho ouvindo há vinte anos.
    Ano passado, fiquei assustado com uma aluna nossa de 17 anos, integrante do Grêmio da escola, reclamando sobre a coordenadora (diretamente com ela). A aluna estava indignada porque a coordenação de nossa escola afixava comunicados nas paredes das salas de aula para que os alunos tomassem conhecimento de rotinas pedagógicas, como reunião de pais. A garota não queria que esses comunicados fossem “apenas afixados”, ela exigia que a coordenadora fizesse a leitura dos comunicados para que os alunos entendessem o que estava escrito, porque, segundo a jovem, ninguém queria ler. E a aluna foi ovacionada pelos colegas (isso aconteceu em sala de aula).
    E a tal aluna, pasme, era uma das melhores da escola, com as melhores notas e de melhor comportamento.
    Sei que meu comentário ficou muito extenso, me perdoe ter sido assim. Vou escrever sobre isso em meu blog Alforje, porque tenho incontáveis testemunhos sobre a leitura em nosso país, vividos no dia a dia de minha profissão e também informados por colegas meus.
    Teu hábito de leitura (e o de sua família) é uma exceção em nosso país. Não me leve a mal, mas uma família de leitores, que guardam livros (digamos, mais de 10 obras) em casa, não representa o que está realmente acontecendo na sociedade – uma casa de leitores é uma bolha integrante de uma minoria. Para cada família de leitores, temos vinte famílias de não-leitores.
    Caso queira pesquisar mais a fundo, faço um alerta: tome cuidado com as estatísticas. Muitas pessoas mentem para evitar o constrangimento. Em pesquisas, a pessoa diz que lê, que está lendo algum livro famoso, mas é só. Os dados são incongruentes com os fatos.
    Para terminar, e sem querer desanimar, quero fazer uma denúncia: saiba que ENTRE OS PROFESSORES, a falta de leitura é vergonhosa. A proporção é quase a mesma entre os alunos – em um grupo com 35/40 professores, apenas cerca de dois ou três sustentam a prática da leitura. E isso já foi alvo de algumas pesquisas públicas, embora que ninguém queira tocar no assunto por ser polêmico demais. Talvez a raiz do problema todo esteja aí. Explica muita coisa: inclusive as péssimas notas nos indicadores como SARESP/SAEB/ENEM de alunos da rede pública. Sem hábito de leitura, não se consegue compreender um enunciado de uma questão. E produzir uma redação do ENEM, então?
    Mas esta é outra conversa, bem mais complicada, e fica para outro dia.
    Quanto a mim, sigo incansavelmente com meu projeto de leitura. Um dia (Deus queira!), talvez meus resultados mudem para melhor.

    Curtido por 3 pessoas

    • Olá, Rodrigo!
      Por aqui tudo certo, espero que por aí também.
      É realmente muito triste ler tudo isso. Quando a gente vive em uma realidade, às vezes, pode ser difícil de entender que para tantos outros é totalmente diferente. E imagino que para professores, como você, deva ser ainda mais difícil.
      Acho que sempre tive muita sorte nesse quesito, porque é algo de família. E quanto aos meus amigos, acho que naturalmente acabamos nos aproximando de semelhantes, então a diferença nunca foi tão grande.
      Eu sei que nosso país tem uma carência muito grande em relação a valorização de educação e cultura no geral, mas quando vemos mais de perto a gente se choca. Principalmente lendo um relato de quem está nessa luta diariamente, assim como você.
      E o fechamento das livrarias próximas foi realmente um susto para mim. Famoso choque de realidade.
      Eu acho que o sistema é complicado e talvez não consigamos mudar o mundo, mas se conseguirmos atingir pelo menos uma pessoa, já é uma pequena vitória.
      O seu projeto é incrível e é graças a pessoas como você que o sonhou ainda não morreu. Acredito sim que é possível melhorar nossa situação. Não sei quando e a qual prazo, mas acho importante não desistirmos!
      Acho que em parte, toda essa nova cultura de streaming e conteúdos disponíveis a todo momento e em qualquer lugar, contribuiu muito para o abandono dos livros e para essa falta de interesse de ter que ler uma informação (qualquer que seja) quando é tão fácil ter um lugar para simplesmente ouvir.
      Mesmo não sendo fácil, não desanime de seu projeto. Professores nos marcam de maneiras incríveis! Eu tenho alguns no meu coração para sempre e, inclusive, muitas das minhas escolhas de vida pessoal e profissional deram tão certo graças aos mestres maravilhosos que tive. Com certeza do mesmo jeito que os meus me marcaram, muitos de seus alunos foram marcados por você também.
      Parabéns pelo seu engajamento e desejo muito muito sucesso nesse projeto!
      Agradeço imensamente seu comentário por aqui 😊🌺

      Curtido por 2 pessoas

  2. Enquanto minha saúde durar, continuarei. Pois o otorrino que consultei já avisou: “prepare-se para uma futura cirurgia, tanta dedicação pode render futuros calos nas cordas vocais”.
    Fora as tantas faringites que desenvolvo. Uma a cada ano, que me subtraem uma boa despesa com antibióticos.
    E o que mais me entristece (a ponto de já ter me forçado a precisar de medicamentos para dormir) é o retorno negativo da maioria dos alunos: enquanto um ou dois agradecem e encorajam, mais de trinta fazem o que podem para dificultar mais o que já é difícil.
    Os efeitos colaterais eu já vi de perto: em duas décadas, apenas 3 ex-alunos quiseram ser professores. Dois chegaram a se formar. E desistiram de dar aula, depois das experiências.
    Todo mundo sai perdendo. Porque o adolescente vê o esforço do professor e o que ele passa em sala de aula, e decide não pensar em escolher a mesma profissão. Acabamos perdendo futuros profissionais talentosos, por falta de valorização do professor. Quem quer ser professor, hoje?
    Nas últimas pesquisas que li, não chega a 3% a quantidade de jovens que querem entrar na educação. E muitos dessa porcentagem desistem. Mas parece que isso não é um problema sério. Não vejo nenhum jornal produzindo reportagens frequentes sobre o assunto.
    Enquanto isso, países como Japão, Dinamarca, Finlândia e Coreia do Sul continuam, há décadas, no topo dos melhores resultados em sistema educacional, o que também inclui a leitura.
    Podemos fazer um comparativo: um professor que publique conteúdo de aula, em blogs, ganha algumas curtidas. Um humorista pouco conhecido que fale bobagem, até mesmo de ordem preconceituosa, ganha milhares e até milhões de curtidas e comentários.
    Onde está a perspectiva de melhora?

    Curtido por 1 pessoa

    • Eu não consigo nem imaginar o quanto deve ser difícil para quem está em sala todos os dias. Nosso país não consegue enxergar que o primeiro passo para qualquer melhora é o investimento na educação. Aliás, acho que até enxergam, mas realmente não têm interesse nisso.
      Eu acho muito triste e cada dia mais as pessoas que valorizam isso começam a buscar alternativas fora do país. Justamente por não enxergarem essa perspectiva de melhora.
      Eu não sei se sou muito sonhadora, mas me parece que há, hoje, um certo tumulto acerca deste assunto. Acho que algumas, mesmo que poucas, pessoas estão começando a se preocupar mais com tudo isso. Não acho que de hoje para amanhã o mundo muda, o que eu sei é que enquanto existirem pessoas dispostas ainda haverá esperança.
      Outro dia assisti uma reportagem sobre a educação na Finlândia e juro que deu até vontade de chorar. Eu sei que estão a anos luz da nossa realidade. Mas se eles conseguiram, por que nós não conseguiríamos um dia? Talvez a sua geração e a minha não cheguem a ver esse sonho se concretizar, porque ainda tem um longo caminho pela frente. Mas eu ainda acredito que um dia chegaremos lá.
      Fora tudo isso, desejo muita saúde e força para você na sua jornada 🙏🏻

      Curtir

  3. Morei em casas com bibliotecas enormes (conventos rsrsrsrs) na época em que era frade… Sai da Vida Religiosa e prometi a mim mesmo que teria uma biblioteca em casa… E, hoje tenho… Nas estantes: literatura, filosofia, teologia, sociologia, psicologia, poesia, Ciências da Religião, livros infantis e didáticos… Revistas e começando um espaço para os livros de minha autoria..,. Realizar um sonho não tem preço…
    Meu pai é analfabeto e minha semianalfabeta… , Ler para mim, foi questão de sobrevivência, que se transformou em prazer…

    Curtido por 1 pessoa

  4. Oi Gabriela. Complexo é complicado mas fundamental o que trazes. Serei breve: não há interesse – de um modo geral, não gosto de generalização, porém não se trata de um único governo a questão – de que a população tenha e exerça senso crítico. Há, por óbvio, exceções à regra, mas é só buscar em qualquer veículo de comunicação o seguinte: cortes no orçamento. Os primeiros são Cultura, Educação, Turismo (também é fonte de conhecimento ), etc. Como mudar? É o complexo é complicado, todavia trabalhos como o do professor que comentou são essenciais na transformação para um país mais consciente e crítico. Estive muitos anos na Secretaria da Cultura de Porto Alegre. Fui coordenador, junto com uma colega, do grupo de trabalho que elaborou o plano municipal do livro e leitura, transformado em lei. Hoje, afastado da Cultura não sei como estão as ações previstas mas foi a contribuição que pude oferecer a minha cidade. No plano pessoal, tenho em torno de 5 mil livros, leio muito e sou daqueles que sempre espaço para mais um livro. No primeiro Chronos fiz comentários sobre alguns que li. Como gosto de dizer, ler é um ato de humanidade. Um abraço imenso e muito cuidado, querida. ❤️💐☮️

    Curtido por 1 pessoa

    • Acho que complexo é a palavra certa mesmo.
      A falta de interesse só cresce a cada dia, mas sempre há esperança.
      Não poderia concordar mais!
      Grande abraço, querido!
      Cuide-se também 😉 🌺💞

      Curtir

  5. Boa noite minha cara… em, eu não acho que o brasileiro não leia. Até por ser a minha área de atuação, posso afirmar que lê, mas não o que as pessoas acham que deve ser lido. Tem um bando de fiscais do livro alheio por aí.
    Quanto a Saraiva e a Cultura, fecharam muitas de suas unidades. Aqui em São Paulo ainda tem algumas abertas, mas soube nessa semana que seria decretada a falência da Cultura, que fez o que quis e ferrou com o mercado de livros com sua proposta de bookstore e, não há um único culpado nessa história. São muitos. Nós, leitores, que aceitamos o modelo garboso em detrimento de pequenas livrarias, as de rua, principalmente. As editoras que se curvaram ao estilo introduzido por elas e levaram um belo de um calote. Isso sem falar no tratamento dos funcionários. São tantos os processos trabalhistas. Mas, por aqui há esperança, as livrarias de rua e os sebos estão retomando aos poucos.
    A Cultura e a Saraiva juntas fizeram muito mal para o cenário dos livros e não sei quanto tempo vai levar para recuperarmos esse espaço, mas ainda há livros e pessoas como você e sua mãe, sua irmã e enquanto houver leitores, haverá uma livraria em algum lugar.

    bacio

    Curtido por 1 pessoa

    • Muito obrigada, Lunna!
      Realmente percebi também uma maior circulação de livrarias de bairro aqui perto de casa.
      Que as mudanças que estão vindo sejam para a melhor!

      Beijo 💋🌺💞

      Curtir

  6. Estamos num país de concentração de renda: poucos com muito, e muitos com muito pouco. Temos 13 milhões de desempregados, comida cara, livros caros, pouquíssimas bibliotecas, educação precária onde professores ganham mal… então o não hábito de leitura, creio, não é simplesmente uma questão de opção e sim uma dura realidade social. O que me espanta são tantas “bibliotecas” que pobres improvisam com doações e livros garimpados em lixo. Há muitos exemplos no país. Temos que mudar a situação geral .Abraços literários.

    Curtido por 1 pessoa

    • Realmente uma dura realidade. Não faz muito tempo, vi uma reportagem (não consigo me lembrar o lugar) em que iriam queimar uma quantidade imensa de livros didáticos (detalhe que estavam novinhos em folha, nunca usados), pois ninguém usava e não havia onde guardar. Fiquei horrorizada, mas provavelmente não foi a primeira e nem será a última vez.
      Abraços literários 🙂 🌺💞

      Curtir

  7. Amooooo livros…leitura e sem duvida um hábito saudável que faz mto bem…com eles ganhamos sabedoria,viajamos sem se quer sair de casa…enfim é maravilhoso…eu estava triste com o fechamento das bibliotecas publicas por conta da pandemia,mas agr com a reabertura estou ansiosa a voltar a frequenta las. amo aquele ambiente..e infelizmente e lamentável mas e verdade o Brasileiro nao gosta nenhum pouco de leitura o que e uma pena..
    Boa tarde …fica c Deus!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta para Chronosfer2.wordpress.com Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s